quarta-feira, 6 de janeiro de 2016

Em meio a crise de dengue e zika vírus, coordenador pede 'demissão'

Lucas Leal é biólogo e deixou o cargo esta manhã
Alegando motivação pessoal, o coordenador de Vigilância Ambiental da Secretaria Municipal de Saúde de Tangará da Serra, Lucas Leal, pediu exoneração do cargo. Ele me contou que decidiu deixar o cargo após oportunidade que surgiu de ir embora para outro país, o Canadá, onde Lucas, que é formado em Ciências Biológicas, passará por qualificação. "Sempre dei o meu máximo", disse ele.

Ocorre que a saída de Lucas gerou certo descontentamento já que ocorre em momento crucial de enfrentamento ao mosquito Aedes Aegypti, hospedeiro do vírus da Dengue, da Zika Vírus e da Febre Chikungunya - as duas primeiras que tem registrado grande número de possíveis casos em Tangará.

A saída do coordenador foi tão repentina que foi surpresa hoje pela manhã entre agentes de endemias e agentes de saúde ambiental que foram ao local combinado para o início de um mutirão de combate ao mosquito.

Muitas conversas rolavam entorno do assunto. As principais diziam que Lucas deixou o cargo por não ter recebido suporte necessário da Secretaria de Saúde para a realização do Mutirão. "Não recebemos nem luvas, nem panfletos, nada, apenas sacos do Recicla", contou um agente de saúde, afirmando que foi isso que motivou a saída do biólogo do comando da Vigilância.

Outra fonte revelou no local que existe grande possibilidade de Tangará da Serra ser atingida por um surto de dengue nos próximos dias o que teria sido o motivo da exoneração.

Mesmo sem o coordenador e sem representantes das demais coordenações de saúde, o Mutirão ocorre normalmente na região da Vila Esmeralda.