quarta-feira, 20 de janeiro de 2016

Juiz determina suspensão de repasses do Fundo Partidário para o PT de Tangará

Atual presidente do PT de Tangará da Serra - Professor Edilson
O PT de Tangará da Serra, sob o comando do professor Edilson Luiz da Cruz, teve suas contas internas de 2014 reprovadas. Um monte de irregularidades foram encontradas nas contas do partido do vice-prefeito Zé Pequeno e do vereador Coquinho. 

Com isso, o juiz eleitoral determinou a suspensão do repasse do Fundo Partidário. Outros três diretórios municipais: PRP, PTN e PSL estão na mesma situação e assim como o PT sofrerão as mesmas penalizações.

Foram mais de 5 anomalias: a ausência de contas bancárias obrigatórias e seus extratos, a apresentação das peças contábeis “zeradas”, não menção a doações estimáveis recebidas, nem de doação de filiados, entre outras. E o que mais chamou a atenção: o partido declarou que não contraiu dívidas de qualquer natureza nos três últimos anos – antes de 2014. No entendimento do juiz algo impossível de se aceitar para um partido em plena atividade.

Conheço membros da atual diretoria do PT como Jairo Pimenta, Sérgio Baldinott, Dra. Helena, Gilcélio e Francisca do Sintep na militância de esquerda há mais de uma década e acredito que não houve má-conduta. Tentei conversar com o atual presidente Edilson (na foto) ontem à tarde, mas não consegui. 

Falei com o ex, Zé Rosa e ele me contou que houve problemas com um contador contratado para prestar contas. Diante da persistência das irregularidades o saneamento foi abandonado. Agora, com a eleição se aproximando o partido vai ter que se virar, pois ‘inadimplente’ não recebe verbas do Fundo Partidário.