sexta-feira, 8 de janeiro de 2016

Mais oposição do que nunca: ordem aos opositores é 'descer a lenha' em prefeito

Imagem meramente ilustrativa
O prefeito Fábio Junqueira (PMDB) enfrentará nos próximos meses alguns dos piores momentos de sua gestão a frente da Prefeitura de Tangará da Serra. Não serão problemas internos e sim influências externas, partindo de seus opositores, o que é natural nessa época em que se aproximam as eleições municipais. A oposição deverá se tornar mais que uma pedra no sapato, se tornará uma pedra nas costas no prefeito.

Ontem a tarde me surpreendi durante uma conversa que tive com uma pessoa ligada ao PSDB, principal opositor de Fábio a essa altura do campeonato, afinal de contas é o partido do deputado estadual Saturnino Masson, derrotado pelo peemedebista na eleição de 2012 e que tem interesse nessa eleição, inclusive ensaia lançar candidato o filho, Vander Masson, presidente da Acits.

Vou contar o motivo da minha surpresa.

A fonte me revelou que existe um emaranhado de partidos políticos se 'juntando' com o objetivo de atacar a gestão Fábio. No total são 10 partidos, alguns mortos, mas outros vivíssimos e com forte influência.

No PSDB, por exemplo, a ordem é 'descer a lenha' na gestão. Os dois vereadores tucanos, Fabão e Professor Vagner servirão como espécie de porta-voz de um coro que deverá se repetir por todos os cantos da cidade, nas rodas de conversa, nos corredores, na mídia local e estadual.

E já começou: uma curtinha saiu no site RD News, de Cuiabá...um tanto quanto tendenciosa, a curtinha de um parágrafo apenas, tenta mostrar para Mato Grosso que Tangará vive tempos de caos e mais, tenta colocar Fábio como inimigo número 1 de Taques, fator que prejudica mais que o prefeito, prejudica Tangará.

Outro partido, o PSB de Luiz Henrique e Sebastian, também deverá compor o coro que quer ver em lascas a gestão Fábio Junqueira.

É chegado tempo de eleição e a disputa política está apenas começando.