terça-feira, 29 de dezembro de 2015

Obras públicas em Tangará escondem criadouros do mosquito da dengue, zika e chikungunya

Na obra da USF da Vila Esmeralda o balde, o pneus, a lona
de tinta prontas para receber água da chuva
Uma reportagem do programa Balanço geral, da TV Vale Record, revelou que obras públicas em Tangará da Serra escondem muitos criadouros do mosquito Aedes Aegypti, o hospedeiro intermediário do vírus da Dengue, da Zika Vírus e da Febre Chikungunya.

Obras como de escolas, creches e unidades de saúde possuem vários locais que acumulam água, um prato cheio para o mosquito mais conhecido dos brasileiros. inclusive, levantamento do Ministério da Saúde revela que entre 20 e 25 % dos criadouros do Aedes estão em obras públicas e privadas.

Em Tangará a reportagem flagrou caixas d'água sem tampa, tambores, baldes, lonas, lajes e placas acumulando água parada. O mais grave foi localizado na obra da Unidade de Saúde da Família do bairro Vila Esmeralda onde um balde com água parada há vários dias estava repleto de larvas do mosquito.

Caixas d'água sem tampas em obra de USF no Monte Líbano
Em outras obras como da creche e USF do Monte Líbano (obra do PAC), escola padrão Seduc (obra do Estado) no Altos do Tarumã e até na obra do Hospital Municipal (Santa Casa - Construção Municipal) foram localizados criadouros e locais propícios para a proliferação do mosquito das três doenças mais indesejadas pelos brasileiros.

Bom. O que comentar?

Simples: se não cumpre com a fiscalização em locais públicos imagina o que fará o poder público em locais particulares.

Resumindo: Tamo na roça.