terça-feira, 12 de julho de 2016

Hospital muda de local, mas problemas continuam: ‘Levei lençol de casa”, diz mãe de paciente

Mesmo com 14 leitos de pediatria, criança de 3 anos
é atendida em sala improvisada. Pais levaram lençol de casa e não há sequer ventilador.
Em entrevista recente ao jornal Diário da Serra, o secretário municipal de Saúde, Itamar Bonfim, disse que a nova estrutura hospitalar de Tangará da Serra já atenderia de imediato com quase toda a sua capacidade de atendimento, inclusive a UPA e o setor de internação com 14 leitos somente para crianças.

Bem, não é bem isso que vem acontecendo. E não sou eu que estou reclamando: é o povo!

Tenho recebido fotografias e informações de pacientes que confirmam, o atendimento continua igual ao do antigo Mater Dei.

Hoje pela manhã uma criança de 03 anos deu entrada na Unidade de Pronto Atendimento – UPA Ari Torres – com suspeita de broncopneumonia, todavia, não recebeu o atendimento prometido pelo secretário no jornal.

Os pais da criança explicaram que logo que chegaram à unidade os problemas começaram: primeiro, não havia nenhum leito para internar a garota, depois a criança foi levada para internamento em uma sala de exames que não possui ventilador e nenhuma estrutura para esse tipo de procedimento.

Para completar, não havia lençol e nem travesseiro. Os pais tiveram que buscar em casa.

Imagine uma criança em situação grave, sendo atendida numa sala de exames - sabendo-se que o secretário informou que existem 14 leitos de pediatria-, sem lençol e sem ventilador, num calor insuportável. Será que dá para acreditar no que disse o responsável pelo setor?

E as emendas dos deputados que já estão na conta da Prefeitura? Mais de R$ 1 milhão e 600 mil reais não foram suficientes para comprar lençóis e travesseiros?

O povo já esperou muito e não aguenta mais, ficou por mais de três anos sendo atendido na precariedade do Mater Dei e agora não pode mais ser enganado. Pelo menos tenham a decência de não mentir para o povo. Admitam, temos hoje um hospital novo com equipamentos velhos e problemas antigos que ainda demorarão um bom tempo para serem solucionados. Já passou da hora de resolver! Tá faltando o quê? Recursos ou competência?

ATENÇÃO: Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do Blog do Rolim.