quarta-feira, 25 de maio de 2016

Denúncia: Câmara e Ministério Público investigam prefeito e secretário de Saúde por tráfico de influências

Prefeito Fábio e secretário de Saúde Itamar Bonfim
O Ministério Público Estadual e a Câmara Municipal de Tangará da Serra estão investigando o secretário municipal de Saúde Itamar Martins Bonfim e o prefeito Fábio Martins Junqueira (PMDB) por tráfico de influências. A informação foi confirmada esta manhã pela vereadora Azenate Carvalho (PSB).

Uma denúncia foi formalizada tanto no Legislativo quanto no MP de que o Executivo Municipal contratou para gerir o sistema de informatização de setores da Saúde Pública uma empresa administrada pelo filho do secretário, a TWI Consultoria e Tecnologia, que gerencia o software G-MUS, utilizado nas Unidades de Saúde da Família (USF's).

“O próprio secretário nos confirmou isso, que seu filho é funcionário dessa empresa contratada recentemente para prestar os serviços de informatização de Unidades de Saúde. Na nossa avaliação isso é tráfico de influência, o que é proibido no serviço público”, disse a vereadora, revelando ainda que a mesma denúncia está nas mãos da Promotoria de Justiça.

De acordo com Azenate já havia uma empresa que geria o sistema dos PSF’s, porém, a Secretaria de Saúde pegou carona com uma licitação da prefeitura de uma cidade de Rondônia e contratou a empresa que tem o filho do secretário no quadro de funcionários.

“Acredito que as medidas serão tomadas pelo Ministério Público, do contrário tomaremos uma providência aqui na Câmara”, disse, explicando que dados estão sendo levantados e que não está descartada a abertura de uma Comissão Especial de Inquérito (CEI) para investigar o caso.

“O caso é grave e os responsáveis pela gestão poderão responder por improbidade administrativa”, confirmou a vereadora.

INVESTIGAÇÃO -  Tudo começou quando houve uma denúncia na Câmara informando sobre a presença de parente do secretário na empresa contratada. Em seguida, um Projeto de Lei (062/2016) foi apresentado pelo Executivo pedindo a Abertura de um crédito suplementar no valor de mais de R$ 1,2 milhão de reais.


Tal abertura de crédito entrou na Câmara com pedido de tramitação em regime de urgência especial. O recurso seria remanejado para o pagamento de serviços de limpeza hospitalar, serviços de laboratório, transporte de pacientes do interior do Município e de forma um tanto quanto omissa para o pagamento dos serviços da tal empresa. “Já tínhamos uma denúncia, aí esse projeto veio assim, resolvemos investigar”, disse Azenate. 

O PL 062 foi aprovado ontem na Câmara por 7 votos a 6.

ATENÇÃO: Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do Blog do Rolim.