quarta-feira, 4 de maio de 2016

Justiça concede habeas corpus a donos de site tangaraense acusados de extorquir políticos

Juiz concedeu habeas corpus a acusados
O desembargador Luiz Ferreira da Silva, da terceira Vara Criminal de Cuiabá, concedeu habeas corpus aos jornalistas Antônio Carlos Milas de Oliveira, Max Feitosa Milas e Maycon Feitosa Milas, presos na “Operação Liberdade de Extorsão”, deflagrada em 12 de março. A decisão foi proferida na tarde desta quarta-feira.

Os três são proprietários do Grupo Milas, que em meados do ano passado abriu em Tangará da Serra o site de notícias Tangará OnLine.

“Concedeu parcialmente a ordem, nos termos do voto do relator com determinação para que o juízo a quo expeça alvará de soltura em favor dos pacientes, se por outro motivo não estiverem presos” diz trecho da ação.

O magistrado ponderou que a liberdade dos mesmos não representa dano às investigações nem ameaça a integridade física dos jornalistas, além de mencionar que são primários, têm endereços fixos, famílias constituídas e trabalho lícito como jornalistas que conferem peso para que a prisão preventiva seja revogada.

Detidos sob acusação de extorquir empresários e políticos ameaçando a publicação de informações sobre os mesmos, o grupo tem em sua lista de vítimas o prefeito Mauro Mendes (PSB), a primeira-dama Virgínia Mendes, o ex-governador Silval Barbosa, o ex-secretário Pedro Nadaf e o empresário Willians Paulo Mischur.

Em liberdade os jornalistas devem atender à  medidas cautelares entre elas comparecer mensalmente em juízo para esclarecer sobre as suas atividades, não se ausentar da cidade sem prévia autorização, os três estão proibidos de manter qualquer tipo de contato com alguma das testemunhas ou vítimas envolvidas no processo, os jornalistas estão vetados de publicar qualquer material relacionado as vítimas citadas na investigação em algum dos meios de Grupo Milas de Comunicação, devem estar em suas casas no período noturno, feriados e fins de semana, além de serem monitorados por meio de tornozeleira eletrônica que devem ser colocadas em breve.

Operação Liberdade de Extorsão

Os jornalistas citados fazem parte dos veículos de comunicação Centro Oeste Popular, Notícias Max e Brasil Notícias, e foram presos durante a "Operação Liberdade de Extorsão", da Delegacia Especializada de Crimes Fazendários e Contra a Administração Pública (Defaz).

Segundo investigação, o grupo vinha agindo há vários anos e o valor cobrado de cada vítima mudava de acordo com o poder aquisitivo de cada um, podendo variar de R$ 100 mil a R$ 300 mil. Além dos três jornalistas referidos, mais dois comunicadores, Naedson Martins da Silva e Antônio Peres Pacheco, foram detidos na operação. (Com informações do Hiper Notícias)

ATENÇÃO: Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do Blog do Rolim.