terça-feira, 24 de novembro de 2015

Disputa acirrada na Presidência da Câmara: 04 estão no embate

Azenate, Sommavilla, Prof. Vagner e Bezerra.
Aspirantes ao cargo de presidente.
É hoje. No final da Sessão Ordinária da Câmara Municipal, os 14 vereadores escolherão entre os colegas aquele que irá comandar o Legislativo no ano de 2016. A vitória, que antes parecia estar certa para a vereadora do PMDB, Azenate Carvalho, agora é enigmática. Isso porque outros três vereadores se fortaleceram na última semana: Wellington Bezerra, do PR, Professor Vagner, do PSDB, e Sílvio Sommavilla, do PV. Azenate parece ter virado a figura a ser batida.

Sommavilla, que até então parecia voto certeiro em Azenate, agora desponta nos bastidores como nome forte. Bezerra, o que mais se articulou nos últimos dias, conta com apoio de pelo menos 5 colegas. Professor Vagner, que já disputou a presidência no ano passado e perdeu para Romer Japonês, do PR, também se fortaleceu e deve embolar ainda mais a disputa.

E por falar em Romer, o atual presidente me disse hoje mais cedo durante entrevista para a TV Record que irá votar em Azenate. "Meu voto não é segredo, vou votar na Azenate", disse. O que se tem é apenas uma certeza: haverá dois nomes na disputa. Azenate contra um dos demais citados acima.

Corre-se sério risco de haver um empate em 7 a 7, aí o regimento da Câmara dita as regras em seu Arttigo 24. "Em caso de empate nas eleições para membro da Mesa proceder-se-á uma segunda votação para desempate, após o qual, persistindo o empate será proclamado vencedor o concorrente mais votado nas eleições municipais."

Isto é, havendo dois empates, vence o que mais recebeu votos em 2012 nas eleições. Considerando um cenário que inclua Sommavilla, que recebeu 1.289 votos, somente Luiz Henrique, do PTB (1.716 votos), poderá tirar dele a Presidência. Em um cenário com Azenate (1.285 votos), apenas Sommavilla "atrapalha" a vida da peemedebista. Registrando que Vagner recebeu 688 votos e Bezerra 633 na última eleição.

Tudo embolado. Porém, até o final da tarde de hoje muita coisa ainda pode mudar, nomes podem surgir e manobras acontecerem. É o exercício da democracia. Em jogo um orçamento de mais ou menos 7 milhões e meio de reais.

Só lembrando que além de Presidente também haverá eleição separada para Vice-Presidente, 1º Secretário e 2º Secretário.