sábado, 30 de abril de 2016

Hospital Municipal sem antibióticos e Ministério Público é acionado

Crise no Mater Dei parece não ter mais fim.
A triste novela do Mater Dei, o nosso Hospital Municipal, parece mesmo não ter fim. A unidade de Pronto Atendimento passa por problemas graves relacionados à falta de medicamentos, como se não bastasse a estrutura precária.

Pacientes tomam soro em pé, sentados em cadeiras, nos corredores e até do lado de fora do hospital.

Os servidores improvisam o espaço, tudo para não deixar o paciente sem a medicação necessária. Conforme já noticiamos no blog a equipe de médicos e enfermeiros precisa se desdobrar para atender aos pacientes, sem os materiais necessários.

E quando digo necessários, me refiro ao básico, que todo hospital precisa ter, como luvas, soro, algodão, gaze e medicamentos do dia a dia entre eles, os analgésicos.

Mas acontece que os problemas do Hospital Municipal tem ganhado dimensões gigantescas. Agora, os antibióticos da unidade acabaram. Isso mesmo. Não há esse medicamento disponível por lá. Isso quer dizer que tratar uma infecção é impossível. O Blog apurou que, há duas crianças internadas com infecções graves, que estão sem o medicamento.

E agora o que fazer? Um questionamento que somente as autoridades responsáveis [prefeito e secretário de saúde] poderão responder.


Até ontem [sexta-feira] o Hospital ainda estaria sem a medicação. Diante de toda essa situação, o Ministério Público foi informado do ocorrido. O Blog apurou ainda que um representante da categoria de médicos teria se reunido com a Promotoria de Justiça para cobrar uma solução urgente.