quarta-feira, 16 de março de 2016

Azenate troca o PMDB pelo PSB e diz que há uma ditadura na ex-sigla

O discurso de Azenate Carvalho ontem na Câmara Municipal mais pareceu uma despedida do PMDB do que um anúncio de filiação ao PSB. 

Ela se emocionou, denunciou e disparou: “Há uma ditadura no PMDB”. Ao falar da dificuldade em deixar a sigla ainda foi incisiva, disse que se sentia carta fora do baralho desde a eleição de 2012 quando Junqueira entrou para concorrer a eleição daquele ano e discorreu: “A palavra democracia não existe para algumas pessoas”. 

Azenate ainda denunciou o que ela chama de trama no PMDB em 2015, com apoio do executivo, para que ela não fosse eleita presidente da Câmara. “Trama dentro do meu próprio partido”, pontuou, informando que seguiu para o PSB a pedido do deputado federal Fábio Garcia.

Azenate, Luiz Henrique e Sebastian Ramos formam a bancada do Partido Socialista Brasileiro na Câmara.