sexta-feira, 4 de março de 2016

“Ser de esquerda, ser do PT no Brasil é correr risco de morte”, reage petista de Tangará da Serra

Rodney Garcia: "Não há bases legais ou indícios sólidos
que liguem Lula à Lava Jato”
A condução do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva para depor na Polícia Federal na 24ª fase da Operação Lava Jato que investiga a relação do ex-presidente e seus familiares com empreiteiras envolvidas no esquema de corrupção da Petrobras, repercutiu em todo o país, inclusive aqui em Tangará da Serra, principalmente nas redes sociais. A maioria se posiciona à favor da ação da PF, mas há petistas que reagiram e saíram em defesa de Lula.

Conversei com o professor Rodney Garcia, filiado histórico do PT na cidade e ele afirmou que a moda no momento é criminalizar o PT. “Qual é o fato? Por que as ações policiais que envolvem o PT só acontecem nas sextas-feiras? Não há bases legais ou indícios sólidos que liguem Lula à Lava Jato”.

Rodney afirmou que a ação foi usada para mudar o foco que esta semana havia recaído sobre o presidente da Câmara dos Deputados depois que a Justiça decidiu aceitar denúncia contra o peemedebista.  “São ‘esperneios’ para esconder a derrota do [Eduardo] Cunha na justiça. Qual a ação da mídia, do Juiz Moro na Zelotes, no ‘merendão’ Paulista?”, disse ele, referindo-se a investigações e denúncias envolvendo o PSDB.

Ele ainda trouxe para a realidade de Mato Grosso ao citar a Secretaria de Educação (Seduc) de Pedro Taques (PSDB). “O que falam das escolas estaduais de Mato Grosso que a Seduc ainda não fechou o quadro de professores e nem tem merenda escolar para servir para os alunos? Nada”, disse.

E disparou: “Ser de esquerda, ser do PT no Brasil hoje é correr risco de morte”.

Rodney ainda afirma que o ex-presidente é vítima de uma tentativa de ter sua imagem manchada após todas as contribuições que deu ao país. “O Lula, pelo seu valor e simbologia, é vítima da sordidez daqueles que querem acabar com o estado de direito e da justiça social”, disse, relacionando a situação de Lula com a da Argentina. “Olhamos o que a mídia e o mercado fizeram com a Argentina após o presidente Maurício Macri derrotar candidato de esquerda ligado a Família Kirchner. “O Macri massacrou a economia e arrebentou o estado de direito”, pontuou.


Lula foi levado pela Polícia Federal no início da manhã, depôs e depois foi liberado e se dirigiu para o diretório do PT no centro de São Paulo.