quinta-feira, 31 de março de 2016

Burocracia na Câmara: imprensa tem dificuldade de acesso a documentos

Reportagem
Lucélia Andrade

Reclamações têm chegado de colegas da imprensa [jornais, TV’s, rádios] sobre a dificuldade de acesso a documentos na Câmara Municipal de Vereadores, o que, segundo eles, antes não acontecia. De um tempo para cá, a Assessoria Jurídica da Casa de Leis e a presidência têm dificultado e muito o trabalho da imprensa, com a burocracia em conseguir documentos para fins jornalísticos.

A determinação é que: qualquer documento somente deve ser fornecido por meio de requerimento escrito e protocolado na Secretaria da Casa. Uma jornalista de um jornal impresso chegou a reclamar da situação em um grupo de Whatsapp, afirmando que nem mesmo com requerimento tem acesso aos documentos solicitados e ainda colocam “mil e uma dificuldades’.

Outro teve que fazer requerimento escrito a mão para conseguir o conteúdo, que deveria ser público, sobre uma denúncia e a abertura de uma CEI na Câmara. Nunca foi assim. Por que agora tem que ser?

Agora resta entender, o porquê de tanta exigência por parte do presidente da Câmara Silvio Sommavilla – se for ele quem está prejudicando o acesso -, sendo que ele trabalha também na imprensa, sob o comando de um programa jornalístico que vai ao ar de segunda a sexta-feira na Rádio Pioneira. Ele que atua na área da comunicação há anos, sabe das dificuldades enfrentadas diariamente em busca de informação.

Porém, lamentavelmente parece que Sommavilla não tem se importado com isso. Mal assumiu a presidência da Casa de Leis e já criou dificuldades para a imprensa desempenhar seu papel: que é informar. Algo está atrapalhando o processo democrático na Câmara e precisa mudar, afinal de contas o povo precisa ser informado.


Difícil trabalhar assim!